21 2563 1919

Menu Auxiliar

Início >> Acontece >> Vida e Carreira >> Geração Selfie e a Vida profissional

Text Resize

-A +A

Geração Selfie e a Vida profissional

qua, 17/09/2014 - 16:05 -- Juliana Carvalho

Geração Selfie e a Vida profissional

Vida e Carreira
SOC22 Agosto 2014

Por Maura Xerfan
Coordenadora do Serviço de Orientação à Carreira (SOC) da UniCarioca.

Essas semana o assunto "selfie" voltou as manchetes e sacudiu as redes sociais.  Selfies em velório de Eduardo Campos geraram reclamações. Muitas pessoas classificaram o gesto como absurdo e sem noção. Muito se falou sobre uma sociedade exibicionista e até circense. As notícias, posts e tuites  levantaram a questão da falta de bom senso dos usuários. E com essa falta de noção a conduta ética profissional foi abordada e veio à tona o caso do médico que estava se fotografando ao lado de pacientes durante procedimentos cirúrgicos.

Antes de mais nada, é preciso esclarecer que, segundo estudiosos, o marketing pessoal ou da visibilidade não pode ser confundido com exibicionismo e que o comportamento individual não é um pecado. O que precisamos é não perder de vista o bom senso e atenção a ética profissional. Esse não é um cuidado médico, mas um cuidado que se estende aos profissionais de qualquer área.

Uma "selfie" no ambiente de trabalho requer mais cuidados, que o normal. Deve haver uma coerência com a cultura da organização, seus hábitos e politicas de redes socais, um cuidado como a marca da empresa vai ser exposta e em que situação você está se expondo. Isso tudo acrescido das preocupações com a privacidade das pessoas e o direito de imagens, quando há mais envolvidos na foto e, óbvio, a segurança de todos.

A prática da “selfie” pode ser saudável e não é recriminada. O que está em questão é a falta de bom senso. As pessoas precisam ter mais discernimento e fazer um bom uso da "ferramenta" para se promover na vida pessoal e profissional, começando, inclusive, por saber separar uma esfera da outra.

Um outro cuidado relevante é com o que aparece na sua selfie, além da sua imagem. Documentos, telas de computadores, dados da empresas não podem ser expostos como "cenário" de sua foto. Vale lembrar a máxima de que “O seu direito termina onde começa o meu ...  Com esse foco, algumas empresas já estão se precavendo e criando suas regras para o uso de "selfies" , vídeos e outros registros, como criaram regras de condutas para as redes sociais.

Temos que recorrer ao bom senso e  evitar exposições excessivas, que podem levar a problemas profissionais desnecessários. Na dúvida, use o bom senso e acredite que mais é menos.

Em tempo, que fique claro que não falamos de uma liberdade vigiada, mas sim de uma liberdade responsável, ética.

Edição 10, da série Vida e Carreira, organizada pelo Serviço de Orientação à Carreira (SOC) da UniCarioca.

1 Comentário(s)

Comentar

Felipe Ferreira
Alguns agem como "crianças quando ganham um brinquedo novo: querem brincar toda hora, e não conseguem separa o momento de laser e de estudo". Como as possibilidades tecnológicas são ressentes, ainda estamos aprendendo a usar os atributos e benefícios. Mas com o tempo saberemos a forma correta de "brincar"
13.11.2014