Novos horizontes da internacionalização | UniCarioca | Centro Universitário Carioca

Unicarioca
Digital

Vestibular 2020

Dê o próximo passo
na sua vida!

Quero me inscrever

Receba + info

Ver mais
Nós te ligamos

Acontece
Notícias

Artigos

Novos horizontes da internacionalização

25/05/20

Por Celso Niskier

Ao receber o convite do grupo Unis, líder do consórcio U.Experience, para falar no II Fórum Internacional, transmitido ao vivo pelo YouTube, sobre os desafios da internacionalização das instituições de educação superior brasileiras, em tempos de pandemia mundial, fiquei feliz em poder apresentar o case da ABMES.

Ao longo dos últimos três anos, as delegações internacionais da ABMES, reunindo mantenedores de todo o Brasil, puderam vivenciar diferentes realidades, desenvolver contatos e parcerias e trocar experiências com instituições da Rússia (2017), de Israel (2018) e da China (2019). No total, foram mais de 10 convênios internacionais de cooperação assinados com instituições universitárias destes países, abrindo as portas para que as IES brasileiras possam desenvolver seus programas de internacionalização.

No entanto, novos horizontes se avizinham em tempos pós-pandemia da Covid-19.

Em minha opinião, diminuirá o fluxo de pessoas e aumentará o fluxo de ideias. Crescerão também os projetos colaborativos, através de plataformas digitais, permitindo o compartilhamento de conteúdos entre instituições do mundo inteiro. As chamadas aulas remotas se tornarão universais, podendo, em uma mesma sala de aula virtual, participar alunos e professores de diferentes partes do mundo.

Irá crescer também o número de parcerias com gigantes de alta tecnologia, a exemplo do que a ABMES já firmou com a Microsoft Brasil, para capacitação em inteligência artificial.

Em resumo, nesses tempos pós-pandemia, as competências globais ganharão cada vez mais relevo, assim como as suas aplicações locais, criando novas possibilidades de cooperação entre as IES do Brasil e do mundo.

A internacionalização, como define muito bem a professora Luciane Stallivieri, uma das participantes do seminário, é uma questão de comportamento institucional. E é isso que a ABMES pretende estimular em 2021, abrindo novos cenários de desenvolvimento internacional para a educação superior brasileira.

Fonte: ABMES